Artigo
Fernando Ferreira · Mar. 3 5min de leitura

Continuação - Migrando para InterSystems IRIS – Parte 02 – (Trocando de sistema operacional e de hardware).

Continuação:
Migrando para InterSystems IRIS – Parte 02 – Trocando de sistema operacional e de hardware.

Olá, comunidade! Nesta continuação da segunda parte do artigo vamos apresentar dicas do processo de migração do InterSystems Caché e ou Ensemble para IRIS com um desafio um pouco maior, pois agora vamos trocar de máquina e sistema operacional.

Como comentado na 1ª parte do artigo, a ideia é passar dicas e não substituir os documentos oficiais que estão disponíveis no WRC, que são eles:

  • InterSystems IRIS Adoption Guide;
  • How to migrate to InterSystems IRIS.

Cenário atual:

O ambiente está rodando em uma máquina que não possui mais garantia do fabricante e o sistema operacional atual é o um RedHat 6 com uma instância de Ensemble 2018.1.5. O desafio é migrar para InterSystems IRIS 2021.1 para um novo hardware com o RedHat 8.

Como parte do processo de migração, você já verificou os pré-requisitos das plataformas suportadas para a plataforma InterSystems IRIS, de qualquer forma vou deixar o link aqui para que você possa consultar novamente:

https://docs.intersystems.com/irislatest/csp/docbook/DocBook.UI.Page.cls?KEY=ISP_technologies#ISP_platforms_server

Sistema operacional:

Ensemble:

 

A aplicação que roda nesta instância possui um único namespace com dois bancos de dados, sendo:

  1. Database para globais;
  2. Database para rotinas.

Aqui vai a primeira dica, é recomendado que a base das suas rotinas e globais sejam segregadas. Para ambientes onde rotinas e globais convivem no mesmo banco de dados é demando procedimentos adicionais que serão tratados nos próximos artigos.

Uma observação (sempre vale a pena lembrar) para o cenário atual, a migração aqui apresentada é válida para as plataformas InterSystems Caché e Ensemble, o que difere nos procedimentos é que para Ensemble possuem as etapas da Produção, e todas as dicas aqui mencionadas são baseadas na documentação oficial da InterSystems que vocês podem fazer o download no WRC.

Instalação corrente do Ensemble:

Namespace com bancos segregados:

Estrutura no SO:

  • Dados:

  • Rotinas:

  

 

Agora que já conhecemos o cenário atual, vamos para primeira etapa do processo de migração:

BACKUP / BACKUP / BACKUP / BACKUP / BACKUP / BACKUP / BACKUP / BACKUP / BACKUP

E realizar o procedimento em:

AMBIENTE DE TESTE / AMBIENTE DE TESTE / AMBIENTE DE TESTE / AMBIENTE DE TESTE

Pronto backup realizado, vamos para a etapa seguinte:

  1. Vamos desligar a produção:

 Uma dica importante: caso você possua mais de uma produção, lembre-se que você pode para todas as produções via terminal: 

  1. Agora vamos parar o Ensemble ou Caché com segurança:

Lembre-se de passar o nome da instância, e no nosso exemplo a instância se chama:

PRODENSEMBLE

  1. Importante verificar o ccconsole.log se não ocorreu nenhum problema durante o shutdown: 

 

Antes de continuar os próximos passos, vamos aqui para algumas dicas, mediante questionamentos que já obtivemos de alguns clientes.

Um dos principais questionamentos:

“Preciso mesmo fazer uma parada total do ambiente para copiar os dados para o novo servidor? Não possa executar o utilitário de backup do InterSystems Caché e ou Ensemble?”

                Tenho duas respostas para esse questionamento:

    1. Neste caso depende de como sua aplicação está escrita, pois não se faz necessário para o ambiente todo, e sim o banco que será copiado, ou seja, o banco que será copiado precisa estar desmontado.
    2. Não é possível utilizar o procedimento de backup no InterSystems Caché e ou Ensemble e restaurar no InterSystems IRIS, se faz a necessidade uma cópia fria do banco.

Neste caso vamos exemplificar o banco desmontado:

  1. Agora que executamos a parada total do ambiente ou o banco está desmontado, se faz necessário copiar o CACHE.dat para o novo servidor.

 

Novo ambiente:

Temos como premissa que a nova instância do InterSystems IRIS já se encontra instalado na nova máquina.

Caso tenha alguma dúvida no procedimento de instalação do IRIS, você pode consultar nossa documentação no seguinte link:

https://docs.intersystems.com/irislatest/csp/docbook/DocBook.UI.Page.cls?KEY=GCI

Vamos confirmar alguns dados do novo ambiente:

Sistema operacional:

Instalação do IRIS:

 

Aqui você pode perceber algumas diferenças:

Nome da nova instância: PRODIRIS

Diretório de instalação: /opt/iris

Portas defaults (Webserver):  (SuperServer port = 1972, WebServer = 52773)

Vamos verificar a instalação da nova instância agora:

 É possível observar que só existem os namespaces defaults da instalação.

Para banco de dados a mesma situação, somente os bancos defaults da nova instalação.

                Agora que já verificamos que o ambiente o novo ambiente está operacional, vamos para as etapas de trazer os dados e as aplicações do ambiente anterior:

  1. Como primeira etapa da migração dos dados, precisamos relembrar uma dica da primeira parte do artigo: verificar a tabela de Endiannes. Se ainda possui alguma dúvida passa lá na primeira parte do artigo:  

https://pt.community.intersystems.com/post/migrando-para-o-intersystems-iris-parte-1

  1. Agora precisamos renomear o nome dos bancos, com é citado no guia: InterSystems IRIS Adoption Guide, existe um capítulo com o nome: Different Names. Onde é possível ver com detalhes as diferenças de nomes do ambiente InterSystems Caché e ou Ensemble para o Intersystems IRIS, com exemplo:

  1. Vamos verificar a estrutura dos arquivos pós a cópia:

Agora com os nomes renomeados:

 

  1. Com os nomes renomeados vamos criar o banco de dados dentro do Portal:

Quando selecionado o caminho com o banco de dados copiado, o IRIS identificará que o banco já existe.

Com os bancos de dados criados, agora é possível criar o namespace apontando para os bancos:

Com os bancos criados e namespace criados, antes de ir para o próximo passo, fica como dica verificar a integridade do banco de dados.

Após a execução verifique o Log de integridade:

 

  1. Nesta etapa para o cenário que existam páginas CSP, elas precisam ser copiadas também para a nova estrutura e criar o aplicativo no portal:

  1. Com tudo copiado, vamos compilar as Rotinas, Classes e CSP, mesmo procedimento executado na sessão deste artigo:

https://pt.community.intersystems.com/node/511436

 

  1. Com tudo compilado, podemos verificar os dados via SQL ou Globais

 

  1. Agora é testar a aplicação e a produção:

 

 

 

 

Obrigado por acompanhar este artigo e até a próxima parte que o tema será:

Migrando uma instância com Mirror/Shadow de Caché/Ensemble para IRIS

 

 

 

 

 

 

3
0 60
Discussão (0)1
Entre ou crie uma conta para continuar